Polônia concede visto humanitário a atleta olímpica bielorrussa.

Por Maura Minozzo em 06 de agosto de 2021.

As Olimpíadas de Tóquio estiveram cercadas por grandes debates e tensões. Um episódio em particular chamou a atenção: o dos atletas que se recusaram a voltar para seus países, sendo um desses casos o da bielorrussa Krystsina Tsimanouskaya. A questão envolvendo a atleta teve início quando ela publicou um vídeo na rede social Instagram no dia 26 de julho, no qual demonstrou seu descontentamento por alegar ser obrigada a competir na prova de revezamento 4x400m. Tsimanouskaya comenta no vídeo que seus treinadores não falaram com ela, simplesmente realizando sua inscrição na competição. Entretanto, o vídeo acabou chegando à imprensa estatal bielorrussa e a atleta foi duramente criticada em seu país.

Após tal repercussão, Krystsina foi forçada, no dia 1º de agosto, a deixar Tóquio e a dirigir-se de volta a seu país. Após recusar-se a entrar no avião, a atleta pediu ajuda e proteção ao Comitê Olímpico Internacional e à polícia japonesa. No mesmo dia, o Comitê Olímpico Bielorrusso posicionou-se sobre o caso, afirmando que a atleta precisaria ser retirada dos jogos olímpicos devido à condição de seu “estado emocional” e que precisaria dar início aos tratamentos com psiquiatras. Entretanto, em 2 de agosto, Krystsina dirigiu-se à embaixada da Polônia em Tóquio, pedindo asilo. A decisão do governo polonês veio no mesmo dia, acolhendo a atleta e fornecendo-lhe um visto humanitário.

O ministro polonês de Assuntos Exteriores endossou a decisão do governo através da seguinte declaração: “[Krystsina] já está em contato direto com diplomatas poloneses em Tóquio. [Ela] recebeu um visto humanitário. A Polônia fará o que for necessário para ajudá-la a continuar sua carreira esportiva.” Além disso, o ministro declarou que a Polônia estava disposta a oferecer asilo a qualquer cidadão de Belarus que desejasse partir do país ou, ainda, que não quisesse regressar a ele.

Tal posicionamento gera um acirramento das tensões entre Minsk e Varsóvia, uma vez que endossa o apoio polonês à frente de oposição contra o governo de Lukashenko. Todavia, deve-se mencionar que tal fato não é isolado. Desde a reeleição do governante bielorrusso em 2020, a Polônia vem facilitando as concessões de vistos, além da multiplicação de programas de ajuda que miram estudantes e empresários bielorrussos. Outro ponto de tensão nas relações entre os dois países são os alegados ataques às minorias polonesas que vivem em Belarus promovidos pelo governo de Lukashenko. Ao longo de seu governo, fortes acusações foram feitas, inclusive de que a Polônia busca a desestabilização do país. Outro fato que ilustrou a degradação das relações diplomáticas entre Belarus e Polônia foi a expulsão, em março deste ano, de diplomatas poloneses e bielorrussos dos respectivos territórios.

 

REFERÊNCIAS:

 

 

AFP. Dois diplomatas são expulsos da Polônia após “gestos hostis” de Minsk. Disponível em: <https://www.istoedinheiro.com.br/dois-diplomatas-sao-expulsos-da-polonia-apos-gestos-hostis-de-minsk/>. Acesso em: 06 de agosto de 2021.

BBC. Por que a atleta olímpica Krystina Timanovskaya está com medo de voltar para Belarus. Disponível em: <https://g1.globo.com/mundo/noticia/2021/08/04/por-que-a-atleta-olimpica-krystina-timanovskaya-esta-com-medo-de-voltar-para-belarus.ghtml>. Acesso em: 05 de agosto de 2021.

REUTERS. Veja linha do tempo do caso Tsimanouskaya, atleta que se recusou a voltar a Belarus por medo de perseguição. Disponível em: <https://g1.globo.com/mundo/noticia/2021/08/06/veja-linha-do-tempo-do-caso-tsimanouskay-a-atleta-de-belarus-que-se-recusou-a-voltar-ao-pais-por-medo-de-perseguicao.ghtml>. Acesso em: 06 de agosto de 2021.

RFI. Polônia concede visto humanitário a atleta olímpica e alimenta tensões com Belarus. Disponível em: <https://g1.globo.com/mundo/noticia/2021/08/02/polonia-concede-visto-humanitario-a-atleta-olimpica-e-alimenta-tensoes-com-belarus.ghtml>. Acesso em: 06 de agosto de 2021.