Rússia questiona decisão da Anvisa sobre Sputnik V

Por Bruna da Silva Mandu em 30 de abril de 2021

Nos últimos dias, em decorrência do pronunciamento por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de que a vacina russa Sputnik V, utilizada contra a COVID-19, apresentava riscos à saúde humana, tensões entre o laboratório Gamaleya, ligado ao governo russo, e a entidade de vigilância sanitária brasileira começaram a surgir.

 

De acordo com a nota da Anvisa publicada no dia 26 de abril de 2021, houve identificação de falhas no desenvolvimento do produto em todas as etapas de estudos, assim como insuficiência de informações acerca do controle de dados, segurança e eficácia da vacina. A nota da agência também manifestou preocupação com a possibilidade de a vacina acarretar infecções ou agravamento de estados clínicos, especialmente em pessoas de baixa imunidade, problemas respiratórios e doenças congênitas.

 

O pedido de importação de 66 milhões de doses da vacina contra a COVID-19, realizada por 14 estados brasileiros, foi negado no mesmo dia em que a Anvisa lançou o pronunciamento acerca do imunizante, afirmando, ainda, que ela estava fora dos padrões requeridos pela Organização Mundial da Saúde.

 

Em pronunciamento via redes sociais, o laboratório fabricante da vacina declarou que a decisão da Anvisa foi tomada puramente por questões políticas, não técnicas. Em relação a isto, cabe ressaltar que Moscou acusou os Estados Unidos de pressionarem o Brasil a rejeitar a Sputnik V após a divulgação de um relatório do departamento estadunidense de saúde e serviços humanos em 2020, no qual se afirma que autoridades estão trabalhando com o intuito de dissuadir países latino-americanos de aceitar ajuda de estados com “más intenções” - grupo no qual a Rússia foi incluída pelos Estados Unidos. Ademais, o laboratório declarou que sua equipe jurídica entraria em contato com a Anvisa, tendo-se em vista o teor alegadamente antiético com o qual tratou a vacina russa.

 

É importante ressaltar que, desde a divulgação da vacina russa como a primeira a ser registrada no mundo contra o coronavírus, em agosto de 2020, sua eficácia tem sido questionada no âmbito internacional, e que ela está atualmente aprovada em 60 países, sendo utilizada em grande escala na Argentina, bem como em mais nove países da América Central e do Sul.

 

REFERÊNCIAS:

 

AFP. Russia-Brazil Spat Erupts Over Sputnik Vaccine Snub. [in] The Moscow Times - Rússia, abr. 2021. Disponível em <https://www.themoscowtimes.com/2021/04/29/russia-brazil-spat-erupts-over-sputnik-vaccine-snub-a73785> Acesso em 30 abr. 2021;

 

BARIFOUSE, R. Vacina Sputnik: entenda polêmica do vírus replicante que opõe Anvisa e Rússia. [in] BBC Brasil - São Paulo, abr. 2021. Disponível em <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-56938238> Acesso em 30 abr. 2021;

 

BARIFOUSE, R. Sputnik V: o que se sabe sobre a vacina russa que será tema de reunião da Anvisa nesta segunda [in] BBC Brasil - São Paulo, abr. 2021. Disponível em <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-55761541> Acesso em 30 abr. 2021;

 

BRASIL. Anvisa não aprova importação da vacina Sputnik V. [in] Agência Nacional de Vigilância Sanitária, abr. 2021. Disponível em: <https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2021/anvisa-nao-aprova-importacao-da-vacina-sputnik-v> Acesso em 30 abr. 2021;

 

THE MOSCOW TIMES. Russia Accuses Brazil of ‘Political’ Sputnik V Rejection [in] The Moscow Times - Rússia, abr. 2021. Disponível em <https://www.themoscowtimes.com/2021/04/27/russia-accuses-brazil-of-political-sputnik-v-rejection-a73748> Acesso em 30 abr. 2021;

 

VALENTE, J. Anvisa: replicação de adenovírus na Sputnik é comprovada em documentos. [in] Agência Brasil - Brasília, abr. 2021. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-04/anvisa-replicacao-de-adenovirus-na-sputnik-e-comprovada-em-documentos> Acesso em 30 abr. 2021;

 

VILELA, P. R. Diretoria da Anvisa rejeita importação e uso da Sputnik V [in] Agência Brasil - Brasília, abr. 2021. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-04/diretoria-da-anvisa-rejeita-importacao-e-uso-da-sputnik-v> Acesso em 30 abr. 2021;