Tadjiquistão exibe poderio militar perante crise no Afeganistão.

Por Maura Minozzo em 23 de julho de 2021.

Os efeitos da retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão e as ações subsequentes do Talibã foram sentidos na Ásia Central, especialmente nos países limítrofes ao estado afegão, como Paquistão, Irã, Turcomenistão, Uzbequistão, Tadjiquistão e norte da China. Em resposta aos eventos recentes e ao avanço do Talibã para próximo das fronteiras afegãs, o Tadjiquistão mobilizou 130 mil soldados da reserva e 100 mil soldados ativos visando a realização de exercícios militares, os quais foram concluídos em Dushanbe, na fronteira com o Afeganistão. Caracterizando-se como o maior exercício militar desde sua independência, ele parece mandar uma clara mensagem: a de que o Tadjiquistão irá prezar por sua soberania e sua estabilidade interna, assim como demonstrar a prontidão militar das suas forças armadas.

De acordo com o discurso do presidente tadjique, Emomali Rahmon, transmitido em rede nacional, a situação do Afeganistão ainda é incerta e complicada. Entretanto, o estado tadjique encontra-se, segundo o mandatário, pronto para lidar com possíveis problemas que venham a surgir nos próximos dias. Rahmon ainda declarou que não pretende usar as forças armadas do país contra seus vizinhos, pois, de acordo com o líder, o governo do Tadjiquistão sempre defendeu os princípios da paz e da estabilidade com vistas a construir relações de convivência pautadas na amizade e na cooperação.

Vale mencionar que o Tadjiquistão está trabalhando em conjunto com seus vizinhos e com o governo russo, possuindo planos para a realização de exercícios militares conjuntos a partir do primeiro dia de agosto. De acordo com o site Eurasianet, o cenário a ser utilizado pelas tropas conjuntas será o de uma possível “incursão terrorista advinda do Afeganistão”, não havendo, malgrado, identificação explícita de possíveis grupos responsáveis por tal incursão.

Para a Rússia, sua participação na ajuda do reforço das defesas tadjiques possui caráter de elevada importância, já que, para além dos laços históricos entre os dois países e de sua aliança nos dias atuais, o Tadjiquistão possui uma fronteira estratégica para o Kremlin. Por fim, a base militar que a Rússia possui no Tadjiquistão é uma das maiores do país em solo estrangeiro.

 

REFERÊNCIAS:

 

 

RAMOS, Graça Andrade. Tajiquistão mobiliza todo seu exército para exercícios surpresa. Disponível em: <https://www.rtp.pt/noticias/mundo/tajiquistao-mobiliza-todo-o-seu-exercito-para-exerciciossurpresa_n1337365>. Acesso em: 22 de julho de 2021.

TAJIKISTAN: Afghan crisis serves as opportunity to show off military might. Disponível em: <https://eurasianet.org/tajikistan-afghan-crisis-serves-as-opportunity-to-show-off-military-might>. Acesso em: 23 de julho de 2021.

TAJIQUISTÃO pede ajuda a aliança militar liderada pela Rússia para proteger fronteira com o Afeganistão. Disponível em: <https://www.publico.pt/2021/07/07/mundo/noticia/tajiquistao-pede-apoio-alianca-militar-liderada-russia-proteger-fronteira-afeganistao-1969503>. Acesso em: 22 de julho de 2021.